A CRUZ DE MALTA

O QUE OS MESTRES ASCENSOS DIZEM SOBRE…

A CRUZ DE MALTA

 Cruz de Malta, Símbolo do Poder Controlado por Deus

A cruz de Malta, símbolo do perfeito equilíbrio da chama de Deus, “assim na Terra como no céu”, fornece uma matriz de pensamento e energia, por meio da qual os efeitos nocivos do carma pessoal e planetário podem ser controlados e o Poder da virtude liberado em seu lugar, de modo que o uso do Poder pela humanidade não possa mais corromper a vida na Terra.

Diz-se que o “poder tende a corromper e o poder absoluto corrompe inteiramente”.3 O poder pode ser utilizado como o arco do Arqueiro Infinito, para lançar uma seta de perfeição no âmago da meta de felicidade do homem.

Como a busca da felicidade constitui um tesouro apreciado, todos aqueles que gostariam de usufruir permanentemente desse tesouro podem considerar a cruz de Malta como uma simples forma-pensamento, por meio da qual grandes verdades podem ser reveladas, para a benção de todos.

Contemplando a cruz de Malta colocada à nossa frente, vemos que os quatro braços simétricos que partem do centro têm uma forma triangular, larga na parte externa, com um formato em leque.

O braço superior, ou norte, que desce até o centro, lembra o recipiente superior de uma ampulheta. Na verdade, trata-se de um funil, através do qual as grandiosas energias de Deus – o Poder de Deus – descem para a taça (cálice) do ser.

A ampla abertura lembra-nos das energias infinitas da Fonte, e da capacidade de Deus transmiti-las ao homem. Portanto, sabemos que não precisamos aceitar nenhum tipo de limitação – seja ao receber ou ao dar a Luz ilimitada do cosmo.

O ponto de qualificação no centro da cruz indica que vocês sempre devem estar decididos, conscientemente, em seus corações e em suas mentes, a qualificarem sua energia concedida por Deus com a pureza da intenção divina e com as virtudes de sua identidade crística.

Vocês não precisam ser fracos ou deixarem-se enfraquecer, quando enfrentarem as ondas de energia discordante – sejam suas ou de outrem. Tampouco é necessário serem rudes em sua recusa do erro humano; pois não é a pessoa, mas a energia impessoal, mal direcionada pessoalmente, que deve ser desafiada.

Portanto, estabeleçam-se em uma consciência firme e inflexível, que rejeita o mal como a mentira das má-qualificações do homem; e à medida que vocês inspirarem a essência do Fogo Sagrado, “flor do Poder”, decidam-se a eliminar desta mentira seu Poder negativo, que se manifesta como espinhos da agressão.

Forçoso é reconhecer que, ao descer de Deus para o homem através do braço superior, estreitando-se no funil para fluir até o cadinho do ser, no ponto da cruz, a energia-ação atravessa o nexo e se abre para os três triângulos inferiores, manifestando-se na forma de Poder, Sabedoria e Amor no mundo da forma material.

Assim, as energias infinitas de Deus são moldadas pelas qualificações da atenção que o homem concentra no coração da cruz – sede de sua mente consciente. Por este meio, o Poder solidifica-se no mundo físico, tomando a forma de pensamentos, sentimentos, ações e da palavra falada do homem, estando a liberação de seu ser potencial inteiramente dependente da motivação e da vontade de sua consciência.

O equilíbrio entre o braço superior, que recebe as energias do Espírito, e dos três braços inferiores, através dos quais as energias do Espírito aglutinam-se na Matéria e como Matéria, promove a manifestação harmoniosa do Poder de Deus “Em cima como embaixo”, dos planos da causalidade primordial para o efeito físico, como ensina a ciência Hermética.

Se a qualificação que o homem faz de seu quociente de energia espiritual liberado pelo cordão de cristal, da Presença do EU SOU para o chakra do coração, mantivesse sua pureza desde o momento de sua entrada no cadinho da consciência, tudo que encontra manifestação no microcosmo refletiria a perfeição do macrocosmo. Pensem nisto!

As energias dos três braços inferiores, entendendo-se em leque, numa ação equilibrada a partir do centro da cruz de Malta, procedem então, do plano do Ser puro para a fase da forma, ou ação, da chama trina.

O Poder (no braço esquerdo) retém a polaridade negativa, a menos e até que seja qualificado com a polaridade positiva do Amor divino (no braço direito). Analise detidamente esta afirmação!

Ora, o braço esquerdo da cruz denota a carga negativa, ou menos, da energia espiritual, caracterizada pela chama azul do Poder.( 1 Raio Mestre El Morya/Miguel etc  )

O braço direito indica a carga positiva, ou mais, caracterizada pela chama rosa do Amor.

E o braço inferior, indicando o eixo central do lado menos e mais, caracteriza-se pela chama dourada da iluminação, que dota os polos positivo e negativo com a direção e o propósito da Sabedoria de Deus.

Portanto, tudo que se encontra abaixo no microcosmo pretende constituir uma manifestação tríplice do Fogo Sagrado que desce do Alto no macrocosmo.

A energia liberada pela Divindade, a estrela D’alva do Alto – imã do Poder, ou a Presença do EU SOU, cintilando nas oitavas da perfeição – assim que entra nas oitavas inferiores da Matéria, assume o polo negativo do ser, naquilo que é chamado de lado escuro da manifestação. Este é o lado menos da Vida, no qual o lado mais do potencial liberado pelo Espírito adentra a qualificação material.

As energias depositadas no Espírito, quando precedidas pelo pensamento correto no braço esquerdo, ganham o ímpeto para a virtude divina, pelo Poder da coesão e atração do Amor, à medida que estes vão sendo liberados para a ação, através do braço direito.

Você deverá lembrar-se do que está escrito no primeiro capítulo do Gênesis, que o SENHOR Deus fez “os dois grandes luminares: o maior para governar o dia, e o menor para governar a noite”.5 O braço norte da cruz representa o lado claro do ser, e os três braços inferiores, o lado escuro.

O braço esquerdo da cruz de Malta, braço negativo da Trindade na forma, por si só simboliza o lado negativo da Vida, no qual os três braços inferiores estão suspensos. Então, é igualmente o braço esquerdo que denota a natureza física do homem, na qualidade de berço, ou cadinho, o qual Deus inunda com seu Poder, condensação da intensidade ígnea de sua Luz.

Ele age desta maneira na esperança de que o homem eleve-se acima deste berço/cadinho e transcenda o mundo da experiência, que o alquimista percebe como o lado escuro da Vida, densificação temporal do Espírito, laboratório na Matéria, onde ele é obrigado a comprovar as leis científicas do ser, a fim de retornar à morada permanente do Espírito.

É a partir das densas esferas deste mundo da experiência, que os hindus chamam de mundo de maya, que a alma do homem deve elevar-se, “purificada e tornada alva”, até a pureza da grande centelha de seu ser, do grande Deus.

A cruz de Malta tem outro significado. Quando a perfeita integração de Deus e do homem tornar-se completa, sobrevém um efeito de queimadura do sol, irradiando a Luz do ponto no centro da cruz.

No interior do círculo cósmico da totalidade no ponto que simboliza a individualidade, concentra-se o equilíbrio de Espírito e Matéria, Unidade Divina de todos os planos, união do Deus Pai/Mãe, preenchendo as espirais de Alfa e Ômega.

Através do sagrado coração da alma, que desposou o Cristo Universal no casamento alquímico, a Luz desce, a Luz brilha!
Deus na Verdade é o Tudo-em-todos – não apenas em princípio, mas também na aplicação prática! Pois este Deus, cujo Cristo, nas palavras de Paulo, é Tudo e em todos, é o Tudo-em-Todos no seio da manifestação individualizada, feita à sua imagem e semelhança.

Assim é a plenitude do reino de Deus, conferido a seus filhos e filhas – através do padrão da cruz de Malta encontra-se o conceito de “Teu é o Poder” realizado.

Saint Germain

About the author: Natan

Leave a Reply

Your email address will not be published.